Resenha 008 - Os Garotos Corvos - Maggie Stiefvater

Os Garotos Corvos - Maggie Stiefvater
Sinopse: Skoob
Comprar: Extra
Editora: Record / Verus


Os Garotos Corvos: prato cheio pra quem gosta de sobrenatural

“Destino — respondeu Blue, olhando furiosa para a mãe — é uma palavra muito pesada para se dizer antes do café da manhã.”

Os Garotos Corvos é o primeiro livro da Saga dos Corvos de Maggie Stiefvater. E, como descrevê-lo? Sobrenatural, misterioso, sombrio, bizarro… todas essas palavras se encaixam para uma boa descrição sobre a trama.
Bom…. Blue tem uma família toda de médiuns. Porém, ela não é uma, mas “tem poderes”: sua presença aumenta o poder dos outros. Então, sempre que precisam de mais poder, sua mãe e suas tias pedem para Blue ficar por perto. Mas há muitos segredos na família: um dos principais é que Blue não sabe quem é seu pai, e sua mãe nunca contou nada sobre ele. O livro começa com Blue indo a uma igreja abandonada com sua tia Neeve, para observar o caminho dos mortos. Todo ano ela acompanhava uma das médiuns nesse passeio, e nunca havia visto nenhum espírito lá. Mas esse ano ela viu.
“Existem apenas duas razões para uma não vidente ver um espírito na véspera do Dia de São Marcos, Blue. Ou você é o verdadeiro amor dele — disse Neeve — , ou você o matou.”
E aí vem a pergunta: o que o verdadeiro amor de Blue tem a ver com a morte? Pois é, desde sempre dizem para Blue que se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morre. Então, ela tem 16 anos e nunca beijou ninguém. E, claro, tem medo de gostar de alguém e querer beijá-lo, pois ele pode morrer com isso. O espírito que Blue vê é Gansey. Gansey faz parte de um grupo com mais três meninos: Adam, Ronan e Noah. Eles estudam numa escola particular chamada Anglionby — a blusa da escola tem o desenho de um corvo, e por isso eles são chamados “Garotos Corvos”. Blue nunca quis ter contato com nenhum garoto corvo, mas isso muda depois de ver Gansey neste dia.
“O curador de um museu no Novo México certa vez dissera a Gansey: “filho, você tem um jeito extraordinário para descobrir esquisitices”. Um historiador romano impressionado comentara: “você é esperto, olha debaixo de pedras que ninguém mais pensa em levantar”. E um professor inglês muito velho declarara: “garoto, o mundo mostra para você o que tem nos bolsos”. Gansey descobrira que a chave era acreditar que essas coisas existiam; você tinha de se dar conta de que elas eram parte de algo maior. Alguns segredos se mostravam apenas para aqueles que se provavam merecedores.”
Eu podia dizer agora que meu personagem preferido é Gansey. Mas é mentira, pois Adam é demais, apesar de sua teimosia. E também Blue. E até mesmo o irritante do Ronan. E Noah, tão quietinho, é um personagem muito legal. E aí notei que Stiefvater tem um poder também: ela nos mostra os personagens aos poucos, e você acaba adorando todos.
A história começa com Blue e as coisas anormais que ocorrem em sua casa, depois conhecemos o quarteto dos Garotos Corvos, e, quando Blue passa a andar com eles, tudo fica muito mais misterioso e bizarro. Gansey tem um diário, que Blue acaba "achando" e lendo. Nele, estão anotados todos seus conhecimentos sobre as linhas ley. Peraí, mas o que são linhas ley? O tal caminho dos mortos que a Blue tava lá no começo do livro, sabe? O outro nome é linha ley:
“A linha ley era uma energia inexplicável, incontrolável, bruta. Algo lendário. Quem quer que viesse a controlar as linhas ley seria mais do que rico. Quem quer que viesse a controlar as linhas ley seria algo que os outros garotos de Anglionby só poderiam começar a aspirar.”
E aí tudo começa a fazer mais sentido, o caminho dos garotos corvos vai se unindo ao caminho de Blue… e acontecem muitas coisas! Coisas que…só lendo pra saber ;)
Se vale a pena ler a série? VALE!

Esse livro possui:

 

Um comentário :

  1. Amei a resenha ,eu já tava de olho nesse livro faz um tempinho.Agora com certeza quero comprar.

    ResponderExcluir